psique e suas nuances

psique e suas nuances

sexta-feira, 3 de junho de 2016

As pistas encontram-se na comunicação não-verbal

Valeria Bafera


A comunicação não verbal desempenha um papel especial na avaliação de mentiras: os índices são não verbais, na verdade, difícil de esconder e, como já mencionado, se há uma incompatibilidade entre as palavras e comportamento é sempre o segundo o ser considerado mais verdadeiro (Toni, 2011).Muitas vezes acontece que, falando durante uma entrevista de emprego ou apenas com um amigo, o nosso corpo, os movimentos que fazemos revelar algo que realmente querem silenciar aqueles que estão diante de nós. Por exemplo, durante uma conversa, nós queremos dar a impressão de ser confiante e relaxado, mas começamos a tocar a transmissão garganta, assim, sinais de socorro.
Neste caso, foram traídos por nossa parte mais emocional: há um claro contraste entre o verbal e não verbal. É por isso que é importante ser capaz de trazer coerência aos dois tipos de comunicação, apenas para ser mais convincente e clara, melhorando seus relacionamentos interpessoais. Entre outras coisas, a eficácia e o sucesso da interação é determinado pela maneira em que o ouvinte percebe o que nós nos comunicamos: podemos dar a impressão de enganar o próximo, mesmo quando isso não é verdade, ou podemos interpretar sinais de outras pessoas como indicadores de ele encontram-se mesmo quando a pessoa diante de nós é honesta (Borg, 2009).
Este artigo, portanto, vamos tentar entender sinais não verbais, em geral, pode nos ajudar a identificar a mentira. Como sempre, não há nenhum gesto único que nos permite encontrar a confirmação dos nossos sentimentos: o ato de mentir implica, de fato, um comportamento comunicativo complexo no quais ambos os aspectos linguísticos envolvidos é extralinguística, cujos sinais podem fundir-se e confundir (expressões verbais, olhos, expressões faciais, gestos, etc.). A tarefa é ainda mais difícil pelo fato de que a mentira é uma atividade em que todos nós arriscado até mesmo como as crianças e os jovens, cujos motivos podem ser encontrados em vantagem evolutiva que este comportamento constituiu.
A mentira, na verdade, provou ser um comportamento útil para a sobrevivência da espécie humana: você mentir para proteger a sua vida ou o seu estado interações sociais, para gerir a sua timidez, para esconder suas emoções, para não decepcionar as expectativas do outro; Ele mente por que esse comportamento se revelou frutífera para estabelecer relações ótimas.
Considere, por exemplo, o que teria um efeito negativo sobre o nosso comportamento na qualidade de nossos relacionamentos interpessoais, se cada vez que aguentar um presente que não atender os nossos gostos, honestamente, nós mostramos nosso desagrado: provavelmente depois de um curto período de tempo que vai estar sozinho, sem essas relações formais que sustentam o intercâmbio nossas sociais e nossas atividades de trabalho (Toni, 2011).
Ekman , um dos poucos estudiosos que examinaram o assunto, define uma mentira quando uma pessoa tem a intenção de enganar outro deliberadamente, sem aviso de sua intenção e sem a gliel'abbia destinatário engano pediu explicitamente. Ele afirma que você pode mentir para falsificar, ocultando a verdadeira informação e reivindicando coisas falsas como se fossem verdadeiras; ou você pode mentir para disfarce, tentando esconder o verdadeiro omiti-lo. Além disso, distingue dois sinais não verbais sobre isso: pistas conto dizer-, aqueles sinais que, inadvertidamente colocar a verdade explícita; pistas falsas, aqueles sinais que indicam a presença de uma “discrepância entre verbal e não verbal, mas não nos dizer a verdade”. Este último envolve diferentes partes do nosso corpo: de estilo linguístico aos movimentos do corpo, as expressões faciais, os olhos (Ekman, 2009). De um ponto de vista linguístico, não devemos esquecer a bom lapso freudiano (lapso de língua), então sem querer falar palavras em vez de outros que parecem ser aqueles que estão a ser omitido; Claro, cada lapso de língua não é evidência de uma mentira, geralmente o contexto ajuda a entender se isso revela uma mentira ou não (Ekman, 2009). Além disso, as palavras com que a pessoa escolhe para se expressar constituem uma janela de verdade.
Ele tende, de fato, fazer uma seleção cuidadosa e eficaz de palavras, expressões para comunicar a ideia de sinceridade da mensagem. E ainda a atenção para os tempos de resposta, não pode ser um indicativo do tipo de reatividade, processamento cognitivo velocidade / lento, mas permite que você faça comentários sobre a veracidade dos conteúdos, a confiabilidade do que a outra pessoa está dizendo sobre certas opiniões.
Na seleção de pessoal, uma cadeia de restaurantes medidos os tempos de resposta a perguntas que causa preconceitos contra grupos étnicos ou se ele se sentia desconfortável para trabalhar com pessoas diferentes; aqueles que tiveram mais tempo para responder de forma negativa, relatou a menor pontuação. A pessoa prejudicada, de fato, se esforça para dar uma "resposta certa", mas isso requer mais tempo para processar cognitivamente a resposta. Ele pode ser indicativo de uma comunicação enganosa um discurso predominantemente genérico e com falta de detalhe, com um aumento considerável na pausa entre palavras ou repetição contínua das mesmas palavras (Lieberman, 2000).
Além do deslize da língua, há também o deslizamento gestual: a pessoa deixa escapar um gesto que revela algo que está tentando esconder (um ombro levantado, o lábio inferior, que eleva uma rotação da mão mencionada, etc.) (Ekman, 2009). Outros falsos sinais a partir dos movimentos do corpo podem ser, por exemplo, esfregando a parte inferior do nariz com as costas da mão como um sinal de rejeição; inibir os movimentos das mãos, de modo a bloquear a tensão interna: o mentiroso tem medo de que seu gesto pode traí-lo e, em seguida, tende a suprimi-lo, colocando as mãos no bolso ou mantê-los trancados uns com os outros; Durante a entrevista, frequentemente ajustar seu colarinho ou empate, pode ser um sinal de falsidade: aqueles que dão falsas, de fato, são suspeitos de não ser acreditada e começou a suar no pescoço devido ao aumento da pressão arterial; outras pistas também podem ser as alterações à posição contínua, movimentos da perna, pé (Peace, 2005). Por outro lado, quando o resto do corpo "é silencioso”, são precisamente nossos pés nos trair: Morris (1978) escreve que os pés são a parte mais honesta do corpo humano, como mais distante do cérebro e, portanto, mais difícil controlável e menos conscientes das mensagens que enviamos; Se nos sentimos culpados, as extremidades serão direcionadas para um potencial de escape (porta, janela, etc.). Puxar para trás em seus pés poderia fazer uma “discrepância entre verbal e não verbal”.

É claro, o rosto é a parte do corpo envolvida em mascarar a decepção. O contraste de emoções que é criado no cérebro pode ocorrer na face através dos fugazes micro expressões estudados por Ekman, analisados ​​na seção anterior. O primeiro caso que levou o estudioso a dedicar-se ao estudo das faces da mentira foi de cerca de um paciente psiquiátrica chamada Maria, hospitalizado por um ataque grave de depressão: implorou a seu médico para deixá-la passar o fim de semana em casa e só depois de obter a ‘ aprovação, antes de sair, a mulher admitiu que ela estivesse planejando se matar.
Ekman observa várias vezes o vídeo em câmera lenta, para que você não perca nenhum detalhe aqui como foi observada, por um breve momento, uma das olhar absoluto desespero no rosto do paciente; Naquele momento foi o suficiente para fazê-lo entender como um micro expressão, com duração de meio segundo, poderia transformasse a chave para ser capaz de ler para além das palavras (Ekman, 2009). Como mencionado acima, no entanto, esses micro expressões podem revelar o que a emoção está escondido sob certas circunstâncias, mas não pode revelar por que ele estava escondido, talvez porque o indivíduo não quer que os outros saibam como você se sente.
A forma mais comum de reter certas emoções é substituída por uma expressão diferente: por exemplo, um sorriso sincero pode ser escondido com um “sorriso falso." Neste caso seu desmascaramento pode ser através do reconhecimento de algumas pistas: um sorriso falso aparece muitas vezes assimétrico e não tem levantamento das bochechas, ou a contração do músculo orbicular (pés de galinha) ou a ligeira redução das sobrancelhas (Ekman, 2010).

Muitos outros são os sinais não verbais, em adição aos mencionados acima, que pode ser muito útil para a ' interpretação da mentira. No entanto, nenhum deles é um confiável absoluto e válido para todos os seres humanos: Primeiro você deve observar o comportamento básico do assunto (Toni, 2011). Isso, no entanto, torna-se uma tarefa muito difícil durante entrevistas de emprego, como temos diante de pessoas que vemos pela primeira vez; entre outras coisas, certos sinais são fortemente estados de tensão emocional do sujeito e este é normal sentir especialmente nestes contextos. São capacidades do parceiro flexível (neste caso o criador) de adivinhar quando essa tensão é o produto de fatores externos e quando é realmente devido ao estresse que você sente quando deitado. Infelizmente, não tem havido muitos estudos sobre o reconhecimento de mentira não verbal nas entrevistas de seleção, mas certamente desenvolver essa capacidade proporcionaria uma experiência fundamental e adicional para o criador.




sexta-feira, 27 de maio de 2016

Lembrando que, não ha motivo para o estupro, não é a roupa que uma mulher usa, não são seus hábitos, nem o lugar que mora. Como podemos num "homem", homem? Que não controla desejos, desejo? Que subjuga um ser humano dessa maneira. Estupro é crime hediondo, dos mais graves. Alguém parou pra pensar nos danos emocionais que essa garota, ou garotas irão viver daqui pra frente?

Sexta-feira, 27 de maio de 2016 às 11:49
Nota oficial do presidente Temer: repúdio veemente ao estupro de adolescente no Rio

Em nota Repudio com a mais absoluta veemência o estupro da adolescente no Rio de Janeiro. É um absurdo que em pleno século 21 tenhamos que conviver com crimes bárbaros como esse.
O ministro da Justiça convocou reunião com os secretários de segurança pública de todo país, nesta terça-feira, quando tomaremos medidas efetivas para combater a violência contra a mulher.

Vamos criar um departamento na Polícia Federal tal como fiz com a delegacia da mulher na Secretaria de Segurança Pública do governo Montoro, em São Paulo. Ela vai agrupar informações estaduais e coordenar ações em todo país.
Nosso governo está mobilizado, juntamente com a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, para apurar as responsabilidades e punir com rigor os autores do estupro e da divulgação



 do ato criminoso nas redes sociais.

/Blog do Planato
Lembrando que, não ha motivo para o estupro, não é a roupa que uma mulher usa, não são seus hábitos, nem o lugar que mora. Como podemos num "homem", homem? Que não controla desejos, desejo? Que subjuga um ser humano dessa maneira. Estupro é crime hediondo, dos mais graves. Alguém parou pra pensar nos danos emocionais que essa garota, ou garotas irão viver daqui pra frente?

Sexta-feira, 27 de maio de 2016 às 11:49
Nota oficial do presidente Temer: repúdio veemente ao estupro de adolescente no Rio

Em nota Repudio com a mais absoluta veemência o estupro da adolescente no Rio de Janeiro. É um absurdo que em pleno século 21 tenhamos que conviver com crimes bárbaros como esse.
O ministro da Justiça convocou reunião com os secretários de segurança pública de todo país, nesta terça-feira, quando tomaremos medidas efetivas para combater a violência contra a mulher.

Vamos criar um departamento na Polícia Federal tal como fiz com a delegacia da mulher na Secretaria de Segurança Pública do governo Montoro, em São Paulo. Ela vai agrupar informações estaduais e coordenar ações em todo país.
Nosso governo está mobilizado, juntamente com a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, para apurar as responsabilidades e punir com rigor os autores do estupro e da divulgação



 do ato criminoso nas redes sociais.

http://blog.planalto.gov.br/nota-oficial-do-presidente-temer-repudio-veemente-ao-estupro-de-adolescente-no-rio/trackback/

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Psicologia do Mafioso (Igor Vitale) Itália


Na mente da máfia: entre o silêncio e traição.
A cultura da máfia não diz respeito exclusivamente a mentalidade do crime organizado , mas tem um conceito muito mais amplo que geralmente envolve toda a comunidade. Na verdade, como argumentou Giovanni Falcone "Se queremos c efetivamente combater a Máfia, não devemos transformá-lo em um monstro ou acha que é um polvo ou um câncer. Em vez disso, devemos reconhecer que se assemelham. "
Continuando a esta luz, devemos reconhecer que o poder que capta a organização Máfia seria praticamente nulo se não foi mesmo que indiretamente apoiaram de alguma forma desse mundo que todos nós consideramos "limpa”. Paolo Borsellino esclareceu este conceito nos seguintes termos: "Você sabe o que a máfia. percebem que há uma vaga no tribunal. e ocorrem três magistrados. o primeiro é muito bom, o melhor, o mais preparado. outra tem um tremendo apoio da política... e terceiro é um tolo... você sabe quem vai ganhar? O tolo. Aqui, o chefe disse para mim, esta é a MAFIA!”.
O Mafioso não tem independência de pensamento, o conteúdo de suas reflexões é combinado com a imposição do pensamento coletivo. A Máfia precisa do clã, que garante o escudo protetor de tudo e de todos. A esfera emocional máfia está completamente fundiu-se com a ideologia do clã, tanto que ele é capaz de classificar a distinção entre "direita ou enganar" de acordo com o conceito da máfia, como foi definido.
Por estas razões, a coisa mais difícil para um juiz adjunto, foi capaz de construir um vínculo com o Estado ditada na confiança mútua.
A "máfia “arrependido", um termo agora comumente usado para indicar a figura de colaborador da justiça (introduzida pelo legislador com a lei n '45 / 2001) é um termo estritamente jornalístico que não encontrar uma combinação adequada com a descrição do tema em questão.
A palavra "arrependimento" na verdade, refere-se à esfera emocional e pessoal mais íntima de um assunto, o que significa que o remorso decide renunciar ação comprometida.
Mas, o colaborador da Justiça, conforme exigido pela lei italiana, pode decidir cooperar com as autoridades judiciais simplesmente por uma questão de conveniência, respeitantes à redução de sentenças e, em seguida, não por causa de seu arrependimento.
O principal exemplo é ditada pelas confissões de o chefe histórico Tomas Buscetta que, durante seu depoimento ao juiz Giovanni Falcone, ele começou dizendo: "Eu não sou um vilão, não um traidor, eu não traíram a nossa coisa, mas é a organização que traiu si mesma. "
Com essas declarações, ele mostra claramente que ele nunca se arrependeu para atividades criminosas cometidas, mas manifesta a sua discordância com as novas ideologias organização.
Mas, neste ponto, o que, espera-se ser a reação dos membros do clã, antes de tal traição?
Apesar da traição contra os membros da organização, há um elemento interessante na entrada da nell'aulabunker Buscetta, que logo depois teria que confirmar a deposto no registro. Todos os detidos, de fato, saudou a entrada do chefe com um silêncio implacável, quase em mais um sinal de respeito para com a importância que um homem do calibre de Buscetta tinha realizado dentro da organização.
A mesma coisa, no entanto, não pode ser dito para a justiça do associado Salvatore Contorno, que foi recebida com insultos e gritos durante a sua entrada na sala de aula.
De notar que ambos os colaboradores da justiça sofreu o chamado "cross-vendido" mas neste momento surge a pergunta: por que essa diferença abismal no comportamento entre os prisioneiros?
O pano de fundo dos eventos nos ajuda a esclarecer a situação: enquanto Buscetta entrou na sala de aula, ele manteve uma atitude de seriedade e foi recebida com um silêncio respeitoso; segurando contorno mãos aderentes às pernas, lesões detidos presentes nas gaiolas que imitam o sinal dos "chifres" manifestando assim sua vingança.
Este é o suficiente para diferenciar basicamente um traidor simples como Buscetta, tão infame como destaques.
Conforme amplamente antecipado, portanto, a cooperação pode ser promovida tanto por puro arrependimento do sujeito, ou a um mero cálculo oportunista.Mas eles não devem ser excluídos "falsos casos de terroristas reformadas", onde alguns criminosos fingem estar ciente de certos fatos para enganar a investigação ou para obter injustamente de redução de penas.
Normalmente, estas situações estão longe de ser fácil de encontrar e fazer que entram em jogo várias das técnicas de detecção de mentira através da análise dos sinais involuntários que um suspeito questões individuais através dacomunicação não-verbal .
·         Um dos primeiros sinais de olhar é o olhar. Normalmente, o assunto é falsa, uma vez que tendem a evitar para manter o contato visual direto com a outra pessoa, mas muitas vezes vai tentar parar e olhar para baixo.
·         Outro sinal é ditada por nervosismo ou agitação. Tipicamente, o sujeito tenderá a tremer continuamente uma parte do corpo, tal como a ponta do pé.
·         Outro importante sinal é ditada pelo movimento das mãos. O sujeito tenderá a constantemente apontando para tentar fortalecer suas declarações.
·         Último elemento a considerar é a confirmação de suas declarações.Normalmente aqueles que a mente, tenderá a saltar um particular ou para enriquecer o testemunho anterior; Isso ocorre porque aqueles que dão falsas, dificilmente será capaz de reconfirmar perfeitamente um evento não realmente experimentado.

-Tradução Sônia Furlanetto.
No Brasil não existe esta técnica, para fazer essa especial é necessário ir para à Itália, 
Recomendo o especialista Dr. Igor Vitali

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Narcisismo - Alguns sintomas

Os sintomas de transtorno de personalidade narcisista



Os sintomas mais comuns de narcisismo são:

 Grandeza: o narcisista penso que é extremamente importante, considerando-se acima de qualquer um.
Necessidade de aprovação: têm uma grande necessidade de se sentir aprovado e admirado por outros. Acha que os outros devem sempre satisfazer seus desejos. Exigir atenção admiração constante, se você não fizer isso, vai criar problemas.
Falta de empatia não é capaz de tomar o lugar do outro e compartilhar seus sentimentos. São insensíveis e desconfiança os motivos dos outros, mesmo que sejam realmente importantes razões. Aproveitando-se de outros para atingir seus objetivos. Ter sentimentos excessivos de egocentrismo.
Eles mostram desprezo por seus parceiros: eles acham que deveriam sentir-se amados por elas sem ter que corresponder. Muitos veem os outros em um negativo e pessimista. Ele quer ser o centro da vida de seu parceiro, que deve estar disposto a atender às suas necessidades ou não, devem retirar seu amor.
Reagir às críticas com sentimentos de raiva ou vergonha.
Eles exageram suas realizações e talentos.
Eles estão preocupados com fantasias de sucesso, poder, beleza, inteligência, ou amor ideal.
Têm expectativas irracionais de tratamento favorável.
Os sintomas do transtorno de personalidade narcisista podem ser confundidos com outros transtornos de personalidade que os sintomas partes, às vezes, como no caso de: o transtorno de personalidade histriônica, características que muitas partes com o narcisista, e transtorno obsessivo compulsivo com que também compartilha recursos, mas tem os seus sintomas que fazem a diferença.
Tratamento de Transtorno de Personalidade Narcisista
Como qualquer outro transtorno de personalidade, transtorno de personalidade narcisista é difícil de tratar e a principal arma disponível para a psicoterapia está trabalhando habilidades de enfrentamento de sua realidade e habilidades de relacionamento do outros.
Neste sentido, o terapeuta orienta o paciente a criar uma autoimagem com base em valores reais e verdadeiros positivamente aumentar a sua autoestima sempre considerando não alimentar a sua necessidade para o engrandecimento e não cair no medo da subavaliação.
S. Acha que os outros devem sempre satisfazer seus desejos. Exigir atenção admiração constante, se você não fizer isso, vai criar problemas.
Falta de empatia não é capaz de tomar o lugar do outro e compartilhar seus sentimentos. São insensíveis e desconfiança os motivos dos outros, mesmo que sejam realmente importantes razões. Aproveitando-se de outros para atingir seus objetivos. Ter sentimentos excessivos de egocentrismo.
Eles mostram desprezo por seus parceiros: eles acham que deveriam sentir-se amados por elas sem ter que corresponder. Muitos veem os outros em um negativo e pessimista. Ele quer ser o centro da vida de seu parceiro, que deve estar disposto a atender às suas necessidades ou não, devem retirar seu amor.
Reagir às críticas com sentimentos de raiva ou vergonha.
Eles exageram suas realizações e talentos.
Eles estão preocupados com fantasias de sucesso, poder, beleza, inteligência, ou amor ideal.
Têm expectativas irracionais de tratamento favorável.
Os sintomas do transtorno de personalidade narcisista podem ser confundidos com outros transtornos de personalidade que os sintomas partes, às vezes, como no caso de: o transtorno de personalidade histriônica, características que muitas partem com o narcisista, e transtorno obsessivo compulsivo com que também compartilha recursos, mas tem os seus sintomas que fazem a diferença.

Tratamento de Transtorno de Personalidade Narcisista

 Como qualquer outro transtorno de personalidade, transtorno de personalidade narcisista é difícil de tratar e a principal arma disponível para a psicoterapia está trabalhando habilidades de enfrentamento de sua realidade e habilidades de relacionamento do outros. Neste sentido, o terapeuta orienta o paciente a criar uma autoimagem com base em valores reais e verdadeiros positivamente aumentar a sua autoestima sempre considerando não alimentar a sua necessidade para o engrandecimento e não cair na medo da subavaliação.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Transtorno de Personalidade Borderline




O transtorno borderline, geralmente leva mais de 10 anos para ser diagnosticado.

O Transtorno da Personalidade Borderline caracteriza-se por instabilidade emocional, desregulação afetiva, sentimentos intensos polarizados em tudo ótimo e tudo ruim, angústia de abandono e angústia de invasão que acabam levando a muitos comportamentos impulsivos e perigosos.

Cura é uma palavra comum na medicina, porém, no campo dos Transtornos da Personalidade não é propriamente empregada, pois se acredita que o tratamento tem por objetivo o desenvolvimento emocional ou da personalidade. Se quisermos considerar somente os sintomas, podemos dizer que melhoram consideravelmente com tratamento adequado.
Segundo várias pesquisas, os tratamentos incluem preferencialmente as diversas formas de psicoterapias desde as psicoterapias psicodinâmicas até psicoterapias cognitivo-comportamentais. A medicação deve ser utilizada como adjuvante ao tratamento psicoterápico. Em casos graves muitas vezes há necessidade de internação hospitalar ou participação em Centros de Atenção Psicossocial (Caps).
A família pode ajudar no tratamento?
Sim, principalmente nos Transtornos de Personalidade Borderline. A família deve participar do tratamento mesmo que muitas vezes esteja a ponto de desistir do paciente. Como as relações interpessoais são o centro deste transtorno, é na família que encontramos as manifestações mais evidentes.
O paciente precisa tomar medicamentos?
Sim, se o psiquiatra tomou essa conduta. Lembre-se que em nosso ambulatório há uma parceria importante entre o psiquiatra e o psicoterapeuta.
Principais características:
O transtorno é caracterizado por instabilidade emocional.
 Impulsividade.
 Manifestações inadequadas de raiva.
 Baixa autoestima.
Tendência ao suicídio. Podendo variar esse quadro ao uso de bebidas ou drogas ilícitas, ou se tornar um agressor.
 Insegurança.
 Não aceitar críticas e regras.
 Intolerância a frustrações.
Medo pelo abandono.
O portador do transtorno tende a ter seus relacionamentos sempre intensos.
Tendência a teatralidade.
São confusos e desorganizados. Mudam seus conceitos sobre as pessoas e seus sentimentos de forma muito rápida, tendo suas qualidades anteriores, atualmente desvalorizadas.  Por serem narcisistas e não terem muita ideia de quem são, portanto valorizam sempre só as suas necessidades.
Os Indivíduos com TPEIB podem ser incomodados por sentimentos de vazio crônicos, sentimentos de rejeição e abandono, não importando se isso é real/verídico ou fantasioso.
Os primeiros sintomas tendem a aparecer durante a adolescência, persistindo geralmente por toda a vida.
As mulheres fazem parte de um universo mais representativo dos portadores deste  transtorno. A fase inicial pode ser desafiadora para o paciente, seus familiares e terapeutas.  Muito mais por questões sociais  e da maneira que foram educados pelas suas famílias.  
A maioria dos casos a severidade do transtorno diminui com o tempo.
Como os sintomas tornam-se perceptíveis, a família costuma supor que a rebeldia, a impulsividade, o descontrole emocional, a instabilidade e a diferente percepção de valores são típicas da idade, não fazendo ideia de que estão diante de um distúrbio grave. São pessoas com um grau de afetividade muito grande sobrevalorizando as situações, sendo as boas vistas como excelentes e as ruins como péssimas.
Existem graus em todas as doenças Psiquiátricas, portanto não podemos classifica-las da mesma maneira.
É necessária a internação? Quando?
Infelizmente a internação pode ser necessária. O internamento psiquiátrico é visto como um recurso existente, importante e válido principalmente quando os sintomas apresentados são graves o bastante para colocar em risco a integridade física do paciente e de seus familiares. Para os casos mais graves, como o tempo de resposta ao tratamento psicoterápico é lento, a proteção do paciente e de seus familiares justifica a utilização de um ambiente protegido e seguro. Seu familiar nem sempre poderá proporcionar este quadro em domicilio evidenciando a necessidade do tratamento em regime hospitalar.
(Dr. João Luiz da Fonseca Martins)

Cuidado com pessoas  manipuladoras emocionais! Eles podem estar mais perto do que você imagina. Podem ser seus melhores amigos, familiares ou ser até sua noiva! Eles se alimentam da atenção alheia e jogarão os jogos mais sujos para consegui-la. Farão você pensar que o mundo realmente gira em torno deles (inclusive você), e farão você andar sobre a linha que eles traçarem. Caso em algum momento você resolva sair da linha, quer dizer, caso lembre de que você ainda tem vida e vontade próprias, eles farão você acreditar que está errado, e que na verdade você deve mais atenção a eles ainda. Mas na verdade eles são doentes!
Patologia (sim eles são doentes)
Segundo o DSM_IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), estes indivíduos sofrem de um Transtorno de personalidade, se enquadrando no Cluster/Grupo B (transtornos dramáticos, imprevisíveis ou irregulares). Nas palavras da Wikipédia, pessoas deste grupo são descritas assim:
"Manipuladores, rebeldes, com tendência a quebrar regras e rotinas, irritantes, "maus", inconstantes, impulsivos, dramáticos, sedutores, imprevisíveis, egoístas e muito intolerantes às decepções. Neste grupo, os sintomas inflexíveis dos distúrbios afetam muito mais as pessoas em sua volta, do que o próprio indivíduo.”.
Existe uma série de transtornos de personalidade em que se enquadram os indivíduos deste grupo.
Transtorno de personalidade limítrofe Um dos transtornos comuns de indivíduos deste grupo é o Transtorno de personalidade limítrofe ou borderline.
Este transtorno é caracterizado, entre outros, pela desregulação emocional: (fonte Wikipédia).
"O indivíduo borderline é geralmente visto como "genioso", temperamental, "de lua" e pessoas que facilmente se embravecem." Caracteristicamente, têm dificuldades no controle das emoções e podem ter uma convivência em grupo particularmente complicada. Eles exigem toda a atenção do mundo para si e facilmente são tomados pelas emoções. Podem arranjar conflitos com namorados e familiares com grande demonstração de ciúmes, possessividade e medo de serem abandonados. E ainda com tanta exigência de atenção, armam confusão com notáveis explosões de raiva como agressividade, ironia, xingamentos e até demonstrações físicas de violência. Por isso, podem viver a criar casos com pessoas de sua intimidade.
Pessoas com esse distúrbio, de maneira geral, são superficialmente adoráveis e simpáticos. Porém, com pessoas de sua grande intimidade (ex.: familiares) eles são vistos como irritantes, agressivos, mal-humorados, rebeldes. Tanto que o ambiente intrafamiliar é muitas vezes marcado por brigas e conflitos constantes. (...)
Ao longo de um dia, eles podem mudar de humor várias vezes. Podem ser tidos como aqueles que de manhã estão bem, à tarde de sentem-se raivosos, e à noite depressivos, por exemplo. Como se sentem irritadiços por motivos banais, pode tratar hora bem, hora mal aqueles que convivem com ele, sendo que os conviventes não conseguem entender exatamente o motivo que causou a mudança radical de humor e conduta do borderline. “Portanto, medo, repulsa e raiva são emoções frequentes que pessoas borderline produzem em pessoas de sua grande intimidade.”
Eles se apresentam como as pessoas mais simpáticas do mundo. Você facilmente gosta deles. Você decide viver com eles pro resto, da sua vida. Sorria! Você está sendo manipulado! E enganado! Eles são incapazes de estabelecer relações de afeto mais profundas devido ao sua instabilidade emocional. Eles não sabem se entregar. Não admitem estar vulneráveis pois, não conseguem lidar com adversidades nem decepções. Eles vão culpar o mundo por seus problemas, vão sugar a sua atenção, e vão te manipular quando você não puder dar 101% dela a eles.
Outra característica clássica do borderline é a instabilidade: (fonte Wikipédia)
“São pessoas muito instáveis em” todos os aspectos de sua vida; seus relacionamentos íntimos são muito caóticos, com tendência a terminar abruptamente de forma explosiva, pois eles são marcados por períodos de grande idealização e grande desvalorização, esforços exagerados para evitar a perda, chantagens emocionais e possessividade. (...)
O paciente borderline apresenta em todos os aspectos de sua vida a "difusão de identidade" que pode ser descrita como a recusa em considerar outros tempos e outras diferentes situações, dando prioridade à situação presente e atitudes imediatas (importam-se mais com o agora). Seria como se tivessem uma "amnésia" das situações e atitudes anteriores. Assim, forma-se a instabilidade entre os extremos “bons e maus” (8 ou 80, branco ou preto, mas nunca o meio-termo). (...) Por exemplo, o borderline ao perceber que a pessoa amada está com ela, ele tende a classificá-la como "ótima", ideal e sente-se fortemente apaixonado e feliz. No entanto, se a outra pessoa anuncia que tem de ir embora, por exemplo, o paciente rapidamente passa da grande idealização ("ótima") para a grande desvalorização ("péssima"), desprezando a história em que passaram. Se o cuidador retorna, novamente a pessoa é passada do extremo "péssima" para "ótima". Isto evidencia a grande instabilidade entre os extremos cujas pessoas borderline sofrem. (...) Exemplificando, de modo geral, a borderline é aquela jovem que valoriza demais o namorado. Contudo, por menor que seja a contrariedade, já acha que ele não presta mais. Também acontece quando a limítrofe liga para a amiga. “Só porque esta não pôde atendê-la naquela hora, a borderline já acredita que não é amada e depois agride a amiga de não dar devida importância a ela.”
E aí? Identificou-se com algum dos exemplos? É meu amigo, eles são exímios manipuladores emocionais. Experimente não atendê-los quando eles quiserem. Tá feito o estrago! Quando chegar a casa o bicho vai pegar! Ou em outra situação? Já falou que hoje precisava ficar em casa porque não estava se sentindo bem e, no outro dia, o borderline te chamou pra discutir a relação, dizendo que as coisas estavam mudando, que você não o amava mais?
Outra característica, Narcisismo e agressividade: (fonte Wikipédia).
“São indivíduos tão exigentes e imprevisíveis que assim tendem a afastar todos aqueles que o cercam”. (...) são pessoas que não têm necessidade, eles têm urgência. Não sabem adiar e não aguentam esperar. (...) Eles irritam-se facilmente por coisas banais. Por isso, apesar do borderline conseguir demonstrar certa "normalidade" em várias situações triviais, eles exibem escandalosamente a incapacidade em controlar sua raiva (ex.: acessos de mau humor por ter que esperar a ser atendido no hospital. Ou tratar grosseiramente o médico). Em suma, eles reagem normalmente até o momento em que seu humor radicalmente muda. (...)
“Eu os agrido, vocês me devem, vocês precisam fazer tudo por mim e eu nada por vocês” é frequentemente um lema em mente das pessoas borderline. Quase nunca eles se importam com as necessidades alheias, porque tendem a priorizar as suas. (...) exigem toda a atenção, paciência e carinho para si mesmos ("Você tem que me tratar sempre bem.") e pouco retribuem ("Eu te maltrato, mas você não pode me maltratar, apenas me dar carinho e apoio."). Isto evidencia um "quê" de egoísmo típico traço narcisista no paciente borderline, por isso tem dificuldade em perceber o lado do outro, ou de distinguir o rosto do outro, só conseguindo visualizar suas próprias necessidades. (...) Se, por acaso, suas necessidades são ignoradas, pessoas borderline sentem-se profundamente irritados por não terem sido levados em conta. Segundo Kornberg, é a difusão de identidade responsável por tais percepções empobrecidas. Como o próprio borderline não tem uma identidade bem definida (se vangloriam em admitir ter várias condutas e experimentar tudo), obviamente, eles têm grande dificuldade em enxergar o outro, afinal, não consegue enxergar-se com precisão. Por causa dessa dificuldade em enxergar o outro, o borderline pode ser notavelmente difícil em ter amigos ou namorados, ou então, mantê-los. Ele se aborrece com facilidade com qualquer assunto que não lhe diga a respeito, necessitando sempre ser o centro de tudo. Como nem sempre isso ocorre, ele se irrita excessivamente podendo causar sérios prejuízos em tais relacionamentos.(...) Quando o borderline crê ter sido tratado de maneira injusta (que seja real ou não), ele reage agressivamente e impulsivamente. Às vezes, muitos gestos de outras pessoas são interpretados falsamente ou qualificadas como hostis. Esses indivíduos têm dificuldade em interpretar justamente o comportamento de outros. Sua percepção sobre outros é muito instável e distorcida sempre para desconfianças. Acreditam que as outras pessoas não são nada confiáveis e são especialmente maldosas. Pelas outras pessoas, erroneamente o borderline é classificado como "mimado", rebelde, estressado, louco ou apenas o "seu modo de ser". “Contudo, seu “modo de ser”, na realidade, é um modo de ser doentio.”.
Para concluir este resumo, outro sintoma é a desconfiança: (fonte Wikipédia).
"Borderline têm dificuldade em confiar nas pessoas. (...) Manipulam as pessoas através de chantagens emocionais pouco evidentes como brigas, discussões e conflitos que na verdade é a forma de que encontram para testarem as pessoas das quais necessitam. (...) Eles vivem a testar o amor e afeição das outras pessoas, pois muitas vezes não conseguem acreditar que as pessoas possam amá-los de verdade. (...) Facilmente interpretam as ações de outras pessoas erroneamente como hostis, ameaçadoras, irritantes ou zombadoras, o que causa um gatilho para explosões de irritabilidade e brigas constantes, porque tendem a reagir da mesma forma pela qual acreditaram ter sido tratado."
Transtorno de personalidade histriônica Outro transtorno comum é o Transtorno de personalidade histriônica, onde existe a necessidade de chamar atenção para si própria a qualquer custo, geralmente a base de chantagem emocional. Pessoas que sofrem deste transtorno são geralmente descritas como (fonte Wikipédia):
"Muito emotivas, hipersensíveis, exageradas, superficiais, emocionalmente instáveis, dramáticas, infantis, muito preocupadas com a aparência física (vaidosos) e com notável tendência a exigir excessiva atenção para si a todo o momento. Caso contrário, sentem-se profundamente magoados, podendo expressar suas emoções de forma exagerada, como rompantes de choro ou raiva por coisa mínima. Geralmente vestem-se de maneira chamativa, sobretudo sexualmente provocante e costumam estar sempre à caça de elogios a respeito de sua aparência física. São muitos manipuladores, controlando pessoas e circunstâncias para conseguir atenção. Fazem uso da manipulação emocional e sedutora, frequentemente vestindo-se de maneira chamativa, encantando e seduzindo outras pessoas."
Esta é uma das armas mais perigosas. É como eles se revestem para atrair suas vítimas. É a embalagem mais colorida e chamativa da prateleira. Você os adora porque são vistosos, adoráveis, belos. Sabem aproveitar a vida; amam a vida. Você PRECISA de alguém assim do seu lado.  Ele está usando você.
Transtorno de personalidade antissocial Pessoas deste grupo ainda podem possuir traços também do Transtorno de personalidade antissocial, marcada pela conduta fria e impossibilidade de amar. É a mesma raiz da psicopatia, porém no caso do manipulador não está presente à conduta criminosa, mas que podem causar danos a outras pessoas, mesmo que inconscientemente.